terça-feira, 8 de novembro de 2011

VELHAS TINTAS


- Claude Bloc -



Meus momentos
São tantos
São muitos 
São infinitos "vai-e-vem" 
que me conduzem 
à velha casa
em que cresci...
 


 

Guardo em mim
fotos que tenho na memória
ranhuras de um tempo
em seu delicioso deslizar... 
E ainda consigo sentir 
o cheiro das velhas tintas
no ensejo dos novos tempos.
 


 

E vez por outra,
de vez em quando,
ouço velhas histórias
que o tempo traz de volta
na velha casa em que cresci.


 Claude Bloc

2 comentários:

Ana (Ballet de Palavras) disse...

Claude Bloc,
As suas palavras são colorações ternas e, delicadas que retratam doces emoções de quem viveu e, não esqueceu.

Um terno e, delicado dia para si.

Ana

JATeixeira disse...

As nossas lembranças,como se fizessem parte de um grande propósito, sempre evocam outras, que por sua vez também são evocadas entrando num círculo, sem começo ,sem fim, mas apenas lembranças, que às vezes são “acordadas” continua... http://tubaltrentino.blogspot.com/

J'étais très heureux de trouver ta poésie dans ton blog
Elle m'a réveillé,aussi, mes souvenirs.
Merci a toi e a très bientôt
Ton Ami
Jaques